Aquário da Prefeitura aproxima o Velho Chico da população

Inaugurado em 2010, o espaço representa a luta pela conservação da vida aquática do Rio São Francisco

Os mistérios e as belezas do Rio São Francisco podem ser descobertos e apreciados no Aquário da Prefeitura – Bacia do Rio São Francisco, que está instalado no Zoológico da capital, na Pampulha. Inaugurado em 2010, no segundo ano da gestão Marcio Lacerda, o local é considerado uma das grandes obras de lazer de Belo Horizonte por ser o primeiro e o maior aquário temático de água doce do Brasil. Em 22 tanques, estão 1.500 peixes de 52 espécies. Com um investimento aproximado de R$ 5 milhões, o aquário foi cuidadosamente planejado e hoje é criteriosamente cuidado para reproduzir a vida aquática do “Velho Chico”. A impressionante cenografia reproduz o rio, da margem ao fundo.

Mais que uma opção de lazer e cultura em Belo Horizonte, o aquário trouxe aos mineiros e aos turistas de outras partes do país a oportunidade de aprender de forma lúdica tudo sobre a biologia, a criação e a manutenção dos peixes do rio em cativeiro. “Estamos valorizando o que o Brasil tem de melhor, que são as águas doces, os rios com uma variedade enorme de peixes, e isso tem mesmo que ser explorado”, comentou o médico Leonardo Meyer de Morais, que fez questão de levar os dois filhos para conhecer o aquário no Zoológico.

“Existe uma parte histórica e cultural que é muito importante que a população conheça para entender a bacia hidrográfica do Rio São Francisco, a sua repercussão e a importância para o país”, explicou a bióloga e chefe Serviço de Educação Ambiental da Fundação Zoo-Botânica, Gislaine Xavier.

Para o segurança José Nivaldo Cláudio da Silva, que já visitou o aquário mais de uma vez, o projeto “é importante para a população de maneira geral e, principalmente para as crianças que nunca viram o rio de perto”. Em um espaço de 3.000 metros quadrados com 22 tanques de tamanhos e formatos variados, o aquário do São Francisco conta com mais de 1 milhão de litros de água. As principais espécies de peixe cultivadas são: pirambeba, piau-três-pintas, piau verdadeiro, piau branco, mandi prata, mandi amarelo, manjuba, piaba rapadura, piaba-do-rabo-vermelho, piaba-do-rabo-amarelo, cascudo, surubim, dourado e matrinxã.
 

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Além de opção de lazer, o aquário administrado pela prefeitura da capital faz um importante trabalho de educação ambiental. Por mês, 50 mil estudantes fazem, de terça a sexta-feira,  visitas monitoradas ao aquário. Eles recebem orientações sobre a conscientização e o respeito da utilização da água e também sobre a preservação de uma das principais bacias hidrográficas brasileiras. “Os estudantes têm a oportunidade de conhecer não só as espécies de peixes do Rio São Francisco, mas também os aspectos socioambientais e culturais das populações que vivem às margens dele”, explica a bióloga da fundação.

Objetos doados pelos municípios que ficam próximos ao Velho Chico como carrancas, redes de pesca, âncoras, canoas, peças de cerâmica, esculturas, uma réplica em tamanho reduzido, do barco a vapor Benjamim Guimarães também podem ser vistos por quem vai ao aquário.

 

Outras Realizações