Programa BH Digital coloca Belo Horizonte como referência em políticas de acesso à informática

Projeto tem quatro frentes de ações que vão da recuperação e distribuição de equipamentos a manutenção de 340 centros de inclusão e capacitação profissional gratuita


O Programa BH Digital é uma iniciativa da Prefeitura de Belo Horizonte que integra quatro linhas de atuação com o objetivo de democratizar o acesso à informática. Com investimentos crescentes - só na atual gestão já foram aplicados mais de R$ 16,7 milhões, entre recursos municipais e do governo federal -, a capital já é reconhecida como uma das cidades brasileiras mais desenvolvidas em termos de tecnologia da informação e da comunicação. Em 2011, Belo Horizonte liderou o ranking nacional no Índice Brasil de Cidades Digitais. As ações do BH Digital são coordenadas pela Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte (Prodabel). Todas as ações voltadas para o público acontecem sem que os cidadãos precisem pagar por elas.

Uma das frentes do programa é o Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC), que recebe computadores e periféricos usados, doados por instituições e pessoas. O CRC separa os componentes ainda em condições de uso e, com eles, monta novas máquinas que são destinadas a Centros de Inclusão Digital e a projetos parceiros do governo federal. As peças que já não servem vão para reciclagem em empresas ambientalmente certificadas. Só neste ano, o CRC recondicionou 2.103 equipamentos , que foram distribuídos a 14 entidades e a 82 centros de inclusão digital.

Os centros de inclusão também fazem parte das ações do BH Digital e são fundamentais na democratização do acesso à informática porque são instalados, prioritariamente, em comunidades carentes. Eles são divididos em dois tipos: os PIM (Postos de Internet Municipal), instalados em espaços públicos ou comunitários e basicamente destinados ao acesso à internet, e os Telecentros - espaços mais completos, com dez ou mais computadores equipados com impressoras, através dos quais são oferecidos cursos e oficinas. Os treinamentos vão desde noções básicas de informática à formação de nível profissional.

Ao todo, já estão funcionando mais de 340 Centros de Inclusão Digital em Belo Horizonte - além de unidades em outras dez cidades da região metropolitana, que têm convênio com a prefeitura da capital. Existe ainda o telecentro móvel montado em uma carreta, que percorre a cidade levando os serviços até o cidadão, que não pode pagar pelos treinamentos particulares.

Ainda na linha da inclusão, o BH Digital oferece pontos de acesso gratuito à internet sem fio. Os chamados hotspots estão presentes em 50 endereços da cidade entre praças, parques, prédios públicos e em 23 vilas e favelas, além de 23 edifícios da administração municipal.
Outra via de atuação do BH Digital é a capacitação profissional de jovens em situação de vulnerabilidade social. Ao concluírem os cursos, eles são selecionados e contratados para atuarem no próprio CRC, na Prodabel, nos telecentros ou em laboratórios de informática de escolas municipais. Em 2012, foram ofertadas 1.024 vagas nesses cursos, que capacitaram, entre janeiro e julho, 740 jovens.

Em parceria com o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), através da Vara Infracional da Infância e Juventude, o BH Digital participa do Programa Oportunidade Legal (Olé/BH Digital), que visa o desenvolvimento social e econômico de jovens em situação de risco ou em conflito com a lei. Adolescentes que cumprem sentenças judiciais recebem cursos profissionalizantes em Centros de Inclusão Digital instalados, inclusive, dentro de unidades de internação.

Em outubro de 2011, o Olé/BH Digital recebeu o Prêmio Nacional da Revista A Rede 2011 (especializada em inclusão digital e social), na modalidade Setor Público pelas ações de capacitação e formação.

O quarto eixo do BH Digital é a implantação da infraestrutura de rede sem fio para atender ao programa. Uma das pioneiras entre as cidades de grande porte que adotaram redes de comunicação sem fio para uso público, Belo Horizonte conta, atualmente, com 12 Estações Rádio Bases espalhadas pelas nove regionais. Essas estações são responsáveis por distribuir o sinal de internet entre os hotspots e os Centros de Inclusão Digital.

 

 

Outras Realizações