Idosos recebem atendimento domiciliar em programa criado na gestão Marcio Lacerda

Desde 2011, cerca de 530 pessoas com alguma situação de vulnerabilidade social recebem cuidados especiais sem precisar sair de casa

Carinho, atenção, orientação e acompanhamento são algumas das atribuições do cuidador Wiliam Teixeira e de outros profissionais que realizam o atendimento domiciliar de rotina a 530 idosos beneficiados pelo projeto Cuidador de Idosos, que faz parte do Programa Maior Cuidado. Com o intuito de promover o bem-estar dos belo-horizontinos que atingiram a terceira idade e que vivem sob algum tipo de vulnerabilidade social, a Prefeitura de Belo Horizonte criou o serviço em 2011. O trabalho é feito sob a coordenação da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social (SMAAS), com cogestão da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). A prioridade é garantir qualidade de vida aos idosos.

"Quando chego à casa de um idoso percebo o quanto ele se sente enfraquecido, mas a minha função é deixá-lo perceber aos poucos que é capaz de elevar a sua autoestima. Até a família, quando vê uma pessoa de fora cuidando do idoso melhora o relacionamento com ele", explica Wiliam, que está no programa desde o início e percebe a evolução do estado de saúde dos idosos. Com a experiência, o cuidador também comemora a oportunidade de emprego para os profissionais envolvidos no programa. "Nós saímos da informalidade", afirma.

Os idosos recebem a atenção do cuidador, a partir de uma avaliação médica e também da análise de técnicos do Centro de Referência de Assistência Social (CRAs). Entre as atribuições dos cuidadores estão a orientação da família sobre como lidar com o idoso no dia a dia, oferecendo estímulos e atividades de lazer e ocupacionais aos atendidos. O importante, explica Wiliam, é estimular a autonomia do idoso, nos casos em que isso é possível. "Em algumas situações, preciso fazer desde curativos convencionais a dar banho, trocar a roupa, dar a alimentação, organizar os medicamentos e até marcar e levar o idoso para uma consulta médica", exemplifica.

Além do projeto Cuidador de Idosos, o Maior Cuidado contará, ainda neste ano, com o programa batizado de Domicílio Seguro para a Pessoa Idosa. Através dele, os atendidos receberão um kit para uso em casa, que inclui barras de segurança e de apoio, pisos antiderrapantes, acentos para banho, maçanetas especiais e iluminação de emergência. Com esse kit, o objetivo é reduzir os riscos de acidentes domésticos. Na fase inicial serão cadastrados 45 domicílios.

Para a coordenadora de Direitos da Pessoa Idosa, Maria Fontana Cardoso Maia, a distribuição do kit é uma iniciativa inédita no país e representa o avanço que Belo Horizonte tem alcançado nas políticas públicas em favor da população idosa. "Não existe no Brasil um projeto em que o setor público aplica dinheiro na casa do cidadão. Ao invés de levar o idoso para uma instituição de longa estadia, a Prefeitura adapta as residências de idosos para uma maior segurança e oferece atendimento especializado".

O aposentado Salvino João dos Santos, de 62 anos, está acamado há 17 anos em função de dois AVCs. Ele vive com a mulher e desde o ano passado, conta com a assistência do cuidador Wiliam Teixeira. "Hoje me sinto uma pessoa muito feliz, pois sei que tenho alguém que realmente cuida de mim, com carinho e dedicação".

Antes de existir o programa, o aposentado enfrentava inúmeras dificuldades para fazer exames e consultas médicas. Agora, além da saúde em dia, seu Salvino recuperou a alegria. "Já perdi muitas consultas e exames importantes pela minha restrição de locomoção e pela dificuldade financeira. Nunca saía de casa. Hoje ele (Wiliam) me leva para tomar sol, conversa comigo. Desde que o Wiliam chegou em minha casa, minha saúde melhorou demais. Alegria é sinônimo de saúde também".

 

 

Outras Realizações